Blog

Poema - Papai

26 Feb, 2019

Ser pai não é pra quem quer

É pra quem pode ser pai
É pra quem tem fibra
Tem coragem de enfrentar a vida.

Ser pai é suportar com paciência
O longo período da espera do filho.
É aceitar a interferência de uma terceira pessoa
No relacionamento à dois.
As transformações físicas da esposa
As crises nervosas
A dependência excessiva...
Ser pai é deixar se moldar
Pelas necessidades do momento.

É estar ao lado da família
Mesmo na hora do desemprego, da necessidade
É não a abandonar
Quando se tem uma grande oportunidade.
O verdadeiro pai, mesmo sendo rico
Aparenta pobre para enriquecer os filhos.

Aí sim, o senhor soube ser pai!
Quantas vezes trabalhou de sol à sol para nos sustentar
E enquanto o suor corria pelo seu rosto queimado
O senhor pensava em nós
Pensava em mamãe
Olhava para o céu
E rogava a ajuda de Deus.
E enquanto o sol se escondia no horizonte
Dando o seu adeus derradeiro
Com os bracinhos abertos e o coração saltitante
Corríamos ao seu encontro
E assentados ao seu colo sujo
Beijávamos o seu rosto salgado.
"Papai, o senhor é o melhor pai do mundo!
Estávamos todos felizes e alimentados!"

Sabe papai
Eu não era capaz de avaliar
O quanto custara aquele caderno
Ou aquele par de sapatos
Que o senhor me comprara sorrindo.
Tudo parecia tão fácil!

Papai, naquele dia que o carrinho de picolé passou
E o velhinho provocante gritou:
"Ó o picolé! Picoleseiro!
Porque o senhor virou as costas?
Estava despercebido ou não tinha dinheiro?

Só hoje entendo o seu descuido proposital
Só hoje escuto a voz do teu silêncio...
Eu queria ter sido grande o suficiente
Pra ver que seus olhos estavam vermelhos
Eu queria ter sentido o nó que o senhor sentiu na garganta
Enquanto engolia em seco para não chorar.
Seu bolso estava vazio
Mas seu coração orgulhoso de homem
Recusava admitir que não tinha dinheiro
Nem pra comprar um picolé!

Só agora eu sei
que o senhor leu a frase nos meus olhinhos pidões
Frase que naqueles tempos difíceis, de crise,
O senhor me proibira de falar:
"Papai, me dá, eu quero, eu quero um picolé!
Ele está tão docinho... Tão geladinho...!
O filho da vizinha comprou, papai!
Pode me dar um
Eu te dou um pedacinho!
Roxinho, roxinho...
Ele é de uva, papai!"

Só hoje que sou grande é que eu entendo
Que seu coração amoroso de pai
Estava mais roxo do que o picolé!
Só hoje posso ouvir
O grito que não saiu do seu peito:
Um dia hei de vencer..!

E foi trabalhando longe de casa
Que um dia o senhor venceu.
Lembra, papai, daquela lanchonete?
O senhor parou naquele seu carro velho
E nos convidou a descer.
Comi, bebi até não ter mais jeito:
Vitamina picolé, guaraná...
Tudo o que tinha direito!
E o senhor pagou tudo sorrindo!

Papai, mesmo que o seu grande sonho
Nunca tivesse sido realizado
Eu continuaria o amando
E dizendo: "Muito obrigada!"
Pelo seu sacrifício
Pela sua renúncia
Pelo orgulho que tenho de hoje poder dizer:
"PAPAI!"

Poema - Fica Senhor Conosco

26 Feb, 2019

"É já tarde e declinou o dia

A estrada de Emaús ficou bem mais curta em sua companhia
Nossos pés estão cansados e o coração ardente
A ceia nos espera... portanto não Te ausentes!
Fica Senhor conosco!
Não vês que a tristeza e a dor o nosso peito invade?
Como poderemos suportar tanta saudade?
O terror da morte
O medo dos soldados romanos
Sua partida agora, só nos causará danos
Fica Senhor conosco!
Tu sabes que o inverno frio do martírio nos espera
Seremos odiados e espalhados por toda a terra
E como se testa o ouro assim seremos provados
A timidez nos aflige, estamos aterrorizados!
Fica Senhor conosco!
Embora o Filho dO Homem não tivesse onde reclinar a cabeça
Três anos passaram-se e agora não há quem esqueça
Que junto de Ti nunca faltou abrigo
Pois Tu sempre nos livraste do perigo
Fica Senhor conosco!
João, o discípulo amado, será exilado
Estevão, igual a um cão, será apedrejado
Por Pedro espera uma horripilante cruz
Por que nos deixar agora, ó Jesus?
Fica Senhor conosco!
Não lembras das palavras da trabalhadora Marta
Que no seu coração a dor não mais oculta
Ela dizia com o coração ferido:
“Se Tu estivesses aqui Senhor, o meu irmão não teria morrido!”
Fica Senhor conosco!
Quem consolará a pobre viúva de Naim?
"A morte roubou o filho que cuidava de mim!"
Tu, somente Tu és a vida
E onde a vida chega a morte é banida
Fica Senhor conosco!"
Jesus não pode mais suportar aos rogos daquele convite!
Assenta-se à mesa, abençoa o pão...
Mas no ponto culminante daquele cear
Sem que alguém pudesse segurar
O Mestre desaparece
Deixando em cada coração a prece:
"Fica Senhor conosco!"
Os discípulos correm ao templo amedrontados
Porta cerrada, coração apertado!
Mas, de repente, com a rapidez do vento
Entra alguém interrompendo a tristeza e o tormento, e diz:
”Paz seja convosco!”
Pouco antes, lá no sepulcro
Estava Maria a chorar:
"Levaram meu Senhor!
Onde o poderei encontrar?"
E no silêncio daquele cemitério, entre soluços de dor, surge o refrigério:
É a voz do meigo nazareno a lhe chamar pelo nome:
”Maria!”
Vejo a miséria, a desgraça; a tristeza e a insegurança
São vidas que vagam por este mundo sem par....
Perderam Jesus e não sabem onde encontrar
Por isso o procuram no vício e na falsa religião.
É tempo de parar um pouco, olhar para cima e fazer a Deus esta oração:
"Fica Senhor conosco!"
E lá do monte da assunção vira a mais doce e sublime afirmação:
”Eis que estou convosco até a consumação dos séculos”
Por que ainda pedir fazendo apelos

”Fica Senhor conosco?”

Poema - Amor de migalhas

26 Feb, 2019

Não sou feminista 

Não sou advogada
Não sou promotora
Não sou revolucionária.
Sou apenas uma realista sensível...
Sensível o suficiente pra sentir revolta
Ao ver a injustiça da injusta justiça
Dos direitos furtados de uma mãe.
Humilhação...
Perda de tempo...
"Matei serviço."
"Fui demitida."
"Vagabunda!"
"Filho de prostituta não tem pai."
E depois de tanta baixaria
Um DNA demorado
Em um país que não dá motivo pra confiar
Na autenticidade do resultado.
Aquele homem que fora terno, carinhoso...
E até parecia sincero
Agora é um estranho, frio, calculista e cruel.
A dúvida bate no peito
E atravessa o coração desiludido...
Será que fui amada ou apenas usada...?
Talvez, um mero objeto de prazer sexual...
É, fui mais uma vítima que o egoísmo fez...
Simplesmente mais uma que aceitou acreditar
Mesmo conhecendo a irresponsabilidade de um ficar.
Você me ofereceu o mundo
E eu não posso dizer que não me deu
Pois essa carinha linda e inocente
Que nasceu do nosso relacionamento
Me é mais cara do que tudo na vida!
Mas ele é vivo!
Tem fome e precisa de alimento...
Às vezes doente e precisa de remédio...
Ele estuda e precisa de material escolar.
"Papai, na sua casa você tem tudo...
Seus outros filhos têm iogurte, maçã, brinquedos, passeio...
Eles têm você...
E pra mim, o que sobrou?
É mesmo papai, o que sobrou?
Todos os meses
Minha mãe tem que entrar na justiça
Pra receber uma pequena esmola
Tirada do seu salário...
E você prefere ir para a cadeia de vez em quando
À me dar alguns trocados.
Minha mãe trabalha o dia todo
Às vezes até lavando roupas
Pra completar sua "mesada".
Senhor reprodutor
A dona da loja me contou
Um caso absurdo e chocante.
Era o meu primeiro dia de aula
E você foi comprar meu material escolar
Mas queria uma nota fiscal
Três vezes maior que a compra
Pra apresentar ao juiz.
Isso é baixo, é nojento
É indecente, é desonesto!
Me faz sentir vergonha
Do meu próprio progenitor!
Mas mesmo assim
Continuo dependendo de você.
Corro atrás
Mendigo sua ajuda
Mendigo até o seu amor!
E você me taxa interesseiro
Diz que eu quero apenas dinheiro...
Dinheiro? Ah!
Isso seria o mínimo
Que você poderia me dar
Pra amenizar a perda
A falta que você me faz!
Papai, permita-me assim chamá-lo.
Meu coleguinha de escola chegou.
Adivinhe com quem?
Com um homem lhe segurando a mão.
Na despedida eu vi
Quando aquele homem
Colocou a mão no bolso daquela calça surrada
E tirou o último centavo.
O menino pegou o dinheiro e resmungou...
Ele achou pouco!
Eu vi frustração no rosto daquele pai
Por não ter mais para dar.
O menino entrou na escola despreocupado...
Ele sabia que no outro dia
Tudo se repetiria.
O que era normal para ele
Para mim era apenas uma miragem...
Uma utopia!
O juiz que pagou minha mãe
O seu dinheiro chorado
Não me beijou!
A máquina de onde minha mãe saca
O seu pequeno depósito
Após vários extratos frustrados
Não me sorriu!
Não vai voltar amanhã
Se é que o amanhã existe...
Por que você não me acaricia
Não me assume em público
Não deixa seu coração me amar?
O que não vai custar nada pra você
Pra mim vai fazer tanta diferença!
Quem sabe as pessoas que o tiram de mim
Essas sim!
Talvez sejam insaciáveis e egoístas!
Quem sabe estão a sugá-lo
Só pra não sobrar pra mim?
Sabe papai
Esse modo em que você me trata agora
Poderá até isentá-lo de responsabilidades
De escândalos, brigas e cobranças
Mas nunca do final de todos os mortais.
Papai, hoje estou em suas mãos
Sou dependente, sou carente...
Hoje preciso de você...
Amanhã, quando a velhice chegar
E lhe pegar de surpresa
Espero que meu coração amargurado
Sentido e distante
Consiga pelo menos sentir piedade
Do homem que lhe trouxe à vida
E assim, com pelo menos essa gratidão
Eu consiga afagá-lo em meus braços...
Se um dia cansado, doente, dependente
Você cair em minhas mãos...!"